Por: Raquel Alves Tobias

Hoje te vi de novo, ali de canto, calada.
Observando e tentando entender.
Ouvindo risadas e piadas.
O peito trêmulo, quebrando a casca
Expondo a parte a se esconder
Entorpecidamente furiosa
Oscilou novamente por entre as partes
De casca e carne, e a quebra que faz doer
E doeu
E doeu…
Mais uma vez, como em muitas
E soltou,
E soltou…
Dessa vez como antes nunca

O vento sopra pela fresta
Talvez sim, talvez não.
Mas amanhã, cheira a verão.

Raquel Alves Tobias


Créditos da imagem: Pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: