Categoria Crônicas

Facultas

Por: Mona Vilardo Hoje, bem mais perto dos 40 do que dos 30 anos, posso dizer que meu estado social é facultativo (como se fosse estado civil, entende?). Se tivesse que preencher algum documento que pedisse tal informação, eu colocaria isso. Totalmente o contrário de quando era bem jovem, época que procurava estar em todos […]

Ler mais

Na modinha

Por: Mona Vilardo Na modinha #sqn Algumas palavras de ordem, podemos dizer assim, estão na moda. Citarei algumas: Protagonismo, empoderamento, proatividade, engajamento. Desculpem os amigos mais chegados, não curto modinhas e bandeiras erguidas. Acho a banalidade em que a palavra gratidão se tornou algo assustador. Gratidão virou um cara me perseguindo com uma foice, praticamente. […]

Ler mais

Quando as Farmácias Fecharem

Por: Mona Vilardo. A palavra “apoteose” vem do grego, onde APO significa “alto”, e THEOS, “deus”. Representa a elevação de alguém ao estatuto de divindade. Diante do significado dessa palavra, posso dizer que o meu Carnaval de 2019 foi apoteótico. Essa palavra se encaixa perfeitamente no Carnaval do Rio de Janeiro. Na Apoteose do Samba, […]

Ler mais

Sonho perdido

Por: Mona Vilardo – Veja o sol dessa manhã tão cinza: Foi o que pensei no dia seguinte daquele dia triste. – Então me abraça forte: Foi o que disse um pai ao abraçar outro pai, na tarde daquele dia sem respostas. – Mas deixe as luzes acesas agora: Foi a fala da mãe que queria ver a foto do filho […]

Ler mais

BBB 2019

Por: Mona Vilardo Terça-feira à noite, ligo a televisão (momento raro numa casa que privilegia o silêncio) e vou guardar a bolsa.  O som que escuto na TV é do programa Big Brother Brasil, onde o apresentador com uma voz (muito) animada, dá boa noite aos heróis do Brasil. Fecho os olhos e crio na […]

Ler mais

A Dúvida de uma imaginada Traição

Por: Tadany Cargnin dos Santos   Ele acordou sem sono, tinha vontade de levantar, um intenso desejo de sair da cama, mas algo lhe prendia, havia um magneto irresistível e aterrorizador. A desgraça tinha caído sobre sua psique tão intensa e voraz como a lava ardente de uma explosão vulcânica. E tal desgraça tinha um […]

Ler mais

Flutuantes inspirações

Por: Mona Vilardo  – Porque que quando colocamos os pés no chão a brincadeira acaba? – Mafalda após parar o balanço. Dia 2 de janeiro li a frase da Mafalda, essa personagem argentina cheia de voz. Passei a virada do ano em Salvador praticamente embalada com o refrão “Tira o pé do chão” de Ivete […]

Ler mais

Correio versus Noel.

Por: Mona Vilardo Final de ano é tempo de repensar valores, promessas, sonhos. Tentamos construir em nós uma confiança sempre maior no ano que vai começar! Confiança: normalmente pensamos nessa palavra quando falamos de traição amorosa entre homem e mulher, ou algo mais perto disso, como traição entre amigos. Mas hoje quero falar de confianças […]

Ler mais

Sejamos trapezistas

Por: Mona Vilardo Essa semana assisti um filme que não era bom. Tentei mais que a metade do filme, mas desisti. Ainda bem que já estou praticamente de férias, porque quando isso acontece quando estou cheia de coisa para fazer, a frustração é maior. Perder tempo assistindo filme ruim quando não se tem tempo a […]

Ler mais

Casa Velha

Por: Diogo Verri Garcia Casa Velha (prosa rimada) A casa era velha, tão velha quanto suas emoções. Pouco havia dentro, apenas retratos, panelas, lembranças, devoções. Também velha era sua moradora, que não sabia mais quando iria partir. As tarefas diárias já se tornaram batalhas vindouras, Que sempre especulava se iria realmente conseguir. Aquela senhora, de […]

Ler mais