Categoria Poesia

Entrega

Por: Bianca Latini Devo parar de ter medo de perder E entender que nada me pertence Que sou ser perfeitamente impermanente Num mundo não perene, transitório Nada é meu As coisas, situações e pessoas Apenas passam por mim Acredito que devo praticar o desapego E essa é uma tarefa árdua! Aprendemos de forma diversa Cultuamos […]

Ler mais

O tempo pára

Por: Mona Vilardo O tempo pára Hoje terei que discordar do Cazuza, mesmo sendo seu aniversário. Cazuza, preciso dizer que o tempo pára. E, estranhamente, parou no mundo todo, para todos nós. Mas, olha que curioso, no tempo que parou eu escutei o canto dos pássaros na minha rua, que sempre está cheia de carros […]

Ler mais

Por: Victor Cabral Todos os poemas tem seu nome Em matéria ou forma Essa é a minha norma Você, o alimento que a vontade come Nem toda nudez será castigada Mas adorada, quiçá usada pro nosso prazer Cada verso uma oração, rimas rezadas Cada curva uma benção, pernas cruzadas Nosso beijo no asfalto, se for […]

Ler mais

Palavras de uma alma inacabada

Por: Diogo Verri Garcia (Palavras de uma alma inacabada) Crescer é romper, É amar, é colher. É se lamentar mesmo quando o lamento não for grande. É saber reviver, depois de chorar lágrimas de sangue. É notar que a vida passa frente à face, Ágil, como se um único dia fosse toda a vida. Curto […]

Ler mais

Imensidão

Por: Bianca Latini O amor não é conjunção condicional Ele não é vírgula, parênteses ou ponto final Ele é oração inteira Com todas suas nuances, palavras Com toda grandiosidade de sentidos E múltiplas interpretações O amor é riso em picadeiro de circo É palhaço em dia de espetáculo É criança com pipoca na mão O […]

Ler mais

Medo de quê?

Por: Bianca Latini Medo de morrer?? Eu tenho medo é de viver infeliz!! De perceber que não sou dona do meu próprio nariz Que dou voltas no mesmo círculo E nem expando meu raio Tenho medo de perceber que podia ter feito e não fiz Que passei no mundo como atriz Encenando um papel que […]

Ler mais

Por: Victor Cabral Eu faço coisas bonitas quando penso em você Junto palavras que eu acho que te façam rir (Seu sorriso é peça chave) De quantas maneiras diferentes eu posso te fazer sentir (Nossas línguas: engrenagem) Tudo o que penso e acho que deves saber Eu nunca vou te ter Pois te tendo, não […]

Ler mais

Por dentro: fora da casca

Por: Bianca Latini Por dentro: fora da casca Vambora Vamos trocar essa roupa suja Vamos limpar essa alma muda Vamos fazer festejo e faxina Dentro e fora das nossas ruas Não vamos mais nos esconder Na epiderme dessa casca que não nos traduz Essa pele que nos faz parecer algo que não nos faz feliz […]

Ler mais

Lisboa em Finas Tardes (Tempo à Janela)

Por: Diogo Verri Garcia Lisboa em Finas Tardes (Tempo à Janela) Passou, Mais um dia passou aqui da janela. Algum frio e vento, estupendo e seco. Fim de tarde vagarosa e bela. Por aqui, o tempo não cravou estandartes, Nem usurpou os dias feito fossem suas meretrizes. Lugar em que as passagens de horas são […]

Ler mais

Doutora

Por: Victor Cabral Doutora Você e seus pares Analisando o produto do seu trabalho Isolados num altar qu’eu quase não alcanço O que estariam eles olhando e julgando? Teorias e ideias, costuradas em retalho Você e seus pares Quem eles pensam que são? Fingindo que podem te impedir ou permitir algo Num teatro de roteiro […]

Ler mais