Categoria Poesia

VAI, RAPAZ! (#repost)

Por: Diogo Verri Garcia VAI, RAPAZ! (#repost) Te disseram que o tempo é morada,Caminho para todos que sofrem.Te falaram que a vontade ficou endividada.E com dúvida, se se entrega ou se corre. Veja que ela também quer os teus olhos,Mas teme do mundo a reprovação.Nota que face à tua galhardia,Ela também se arrepia, tem taquicardia, […]

Ler mais

Ao fogo, água!

Por: Bianca Latini Ao fogo, água! Queria que um dilúvio caísse e lavasse as mentes incendiáriasQue inundasse toda destemperança e falta de senso de pertencimentoQue encharcasse os corações ocosE levasse com toda força d’águaA ignorância e a maldadeO vazio de ética e de consciência planetáriaSerá mesmo que eles acham que somos coisas distintas??Eles, nós e […]

Ler mais

Descredenciado Poeta (#repost)

Por: Diogo Verri Garcia Descredenciado Poeta (#repost) A poesia, quando sai do poeta,É livre, sem responsabilidade.Quem assume seu próprio risco é o leitorQue lê o que quer, adota suas próprias verdades. Descredencia cada palavra dita,Que não pertence mais a quem as fez.Os prantos podem se tornar sorrisos;Os risos, desatar de vez. As saudades, que eram […]

Ler mais

Eco

Por: Bianca Latini O outro é um espelho da genteUma extensãoE para ser mais precisoA mesma coisaUma unidadeO outro somos nósComo queres ser tratado?Queres ser amado?Respeitado?Compreendido?Perdoado?Queres ter paz?Leveza?Alegria?Queres a felicidade?O que tens semeado?Que sons saem de tua boca?Em que ritmo são lançadas tuas palavras para o exterior da tua casa?Quais as tuas reais intenções quando […]

Ler mais

Mar em Oração (#repost)

Por: Diogo Verri Garcia MAR EM ORAÇÃO (#repost) Seja forte, como o mar é forte,Mas te amolde e te quebre como as ondas que batem.Seja leve, como o mar é leve,Com ondas breves, como as que rompem a tarde. Seja bravo e te defenda do argumento,Quanto te calarem o pranto e te pretenderem agonia.Seja estupendo, […]

Ler mais

Alinhavos invisíveis

Por: Bianca Latini Alinhavos Invisíveis A vida é tão perfeitaQue alinhava caminhosInsere atalhosDesnuda servidõesSugere encontrosPincela dificuldades que elevam pontesE aproxima pessoas que permaneciam equidistantesApaga percursos e impõe melhor visão do viajanteVisando exercitar seu olhar atento, seu poder de observaçãoA vida vai bordando e desbordandoNo mais perfeito coserAos não crentes, sem explicação.

Ler mais

Decúbito, 2 de 2

Por: Diogo Verri Garcia (DECÚBITO, 2 de 2) A paz, que uma vez se ausentou,de outra forma retorna.Em saber que a mão do destinoRaramente erra a porta.Demonstrou tudoO que havia entre o nada e o engano.Clareou a fundoO que não estava em planos.Deixou a vida torta,Crendo falar tão certa.Foi por Deus,Vê-se o acaso que traz,Ver […]

Ler mais

Por: Mauricio Luz Eis que rompendo o concreto De uma cinza e arrasadora calçada carioca Uma pequena e frágil flor Joga gotas de cores No descolorido mar do cotidiano É como a poesia que em mim mesmo nasce Quebrando as cascas da rotina e do desalento Lembrando ao poeta concretado Que embaixo do cimento das […]

Ler mais

Olfativo Viajante

Por: Bianca Latini Olfativo Viajante Aroma que me fecunda Me leva para zonas distantes Para aquíferos internos Me retomam o calor do útero O acolhimento da Mãe Terra O inebriamento da Natureza A frutificação do Natural A infinitude do Astral A Solitude que me leva à minha magmática estrutura O ar esfumaçado por névoa que […]

Ler mais

O Abrilhantado Sol

Por: Diogo Verri Garcia O Abrilhantado Sol Caminha o sol, Que aos poucos vai. Anda, anda, Na elegante calma De alguém que bem se preze. Inaugura a intocada friagem De uma manhã tão leve. Descobre a névoa, Que enrosca o mundo feito lençol, Pois que vai subindo aos poucos, esquentando, abrilhantando, o sol. Toca no […]

Ler mais