Categoria Poesia

Dois do Onze

Por: Diogo Verri Garcia Dois do Onze Há mais um dia frio.Não há tantos sinos que dobrem,Ou candelabros que lotema exaltar mais chamas acesas.Postas estão algumas velas, tateando a mesa,Em um instante de paz, de pesar.Com preces todasdispostas no cruzeiro, no altar,Em respeito de quem deixou saudade e foi,pois precisou partir. É um dia sem […]

Ler mais

Impaciência

Por: Bianca Latini Impaciência Hoje queria que todas as situações chatas, inconvenientes e que me deixam impacientefossem um vidro bem fininho e espelhadopara eu quebrar com um martelo bem pesadoVê-lo estilhaçar-se e despedaçar-se em pedacinhos bem minúsculosImpossíveis de serem coladosIria pegar uma pá de lixo bem grandeCatar tudo, jogar no vaso sanitário e dar descarga!Para […]

Ler mais

Por: Victor Cabral Vem cá, ensina-me essa coisaDe entender o que dizem as palavrasPara além do que querem dizer Perdemos nosso sono de casalEm cama de solteiros, tão pouco sãoManhãs em solitária companhia “Bom dia, meu bem, o café acabou”Em nosso cardápio só os desejos da carneSeu corpo, meu desjejum Créditos da imagem: acervo pessoal […]

Ler mais

Poema do Amor em Prognose

Por: Diogo Verri Garcia (Poema do Amor em Prognose) Amar é a arte da mágoaQue se faz compartilhadaAté a felicidade que, por vezes, nos encontra,Em tantas, é por nós repassada,Na tentativa de achar,dentro do verbo amar,Uma resposta.Pena que não se sabe tanto ser felizE passa-se tão perto, por um triz,De quem de ti gostou e […]

Ler mais

Por: Victor Cabral Fosse tu um violão, singelo instrumentoQuais notas arrancaria de ti?A receberia em meu colo, terno sentimentoCom meus braços, te puxo a mim Canto pra ti, pra me deixar tocar-teMinha voz é chamamento e ilusãoEncaixa-te em mim, feito obra de arteUnião de dois corpos em um só som Mão esquerda que desliza em […]

Ler mais

Poema do Erro Redundante

Por: Diogo Verri Garcia Prezados Leitores, Em comemoração ao Dia Nacional do Poeta (ontem, 20/10), republicamos “Poema do Erro Redundante”, autoral, de 2019, dada a possibilidade de lidar com palavras, emoções, significados e até com a norma padrão, que o ofício da poesia nos garante. Tal como outrora expressamos em “Descredenciado Poeta”, de 2018, “a […]

Ler mais

Poeta

Por: Bianca Latini Poeta Poeta é tradutor de sentimentosPoeta é contador de momentosPoeta é peito que falaOlhar que se encantaPoeta é aquele que vê lirismo até no sofrimentoE desliza suaves rios de lamentoPoeta é mais do que escritorÉ narrador de históriasConfeiteiro de palavrasBordadeiro de fragmentos, de percepçõesFotógrafo de reações e expressões faciaisAuditor de fenômenos naturaisPoeta […]

Ler mais

Por: Raquel Alves Tobias Só aprende a amarQuem foi verdadeiramente amadoTodo o resto é extensão invasivaDe eternos ciclos inacabadosQuando juntos dividemSeus corpos num copoNum gole, a dúvida.No outro, o amargo.E seguem assim:Metade vazioMetade a vácuo.Consumindo a almaNa saliva do prato.

Ler mais

Por: Victor Cabral Que saudade da tua voz no meu ouvidoEsse carioquês safado, cheio de sibiloSotaque gostoso desse sorriso tão lindoCantam palavras pra minha libido Desconfio que todos os meu atos são pretextoFruto de emoções pré-textoQue se olhadas fora de contextoParecem querer te devorar em texto Estou acostumadoPor isso continuo aqui, mesmo que caladoMesmo que […]

Ler mais

Poemas Pálidos

Por: Diogo Verri Garcia Poemas Pálidos (#repost) Sorrateiramente, sem violência,Poemas vêm e vão.Como passagens de trem, como o verão.Nem todos são vigentes,confortáveis ou frequentes.Há poemas que são pálidos;outros, que são quentes. Quando encorpam, avançam e arrastamFeito forças do vento abrasivo, que é bravo.Quando desandam, são blocos de versoque não causam, nem intencionam.Sem sabor, não tencionam […]

Ler mais