Leitor Também Escreve: Jaqueline Dergan

[ ] Tem situações que sugam nossas energias. Nos sentimos impotentes diante de certas coisas, como o sofrimento de quem amamos. Mas o que fazer quando a situação de sofrimento do ente amado se arrasta de tal forma que nos sentimos sem roteiro, repertório, rumo que faça aquela pessoa conseguir sair do lugar? E o conflito? O conflito entre a empatia e a culpa. Empatia por sentirmos aquela dor, por querer salvarmos aquela pessoa, e a culpa. Culpa por querer fugir. Por entrar num lugar de evitação. Porque dói. Dói demais ver tanto sofrimento. Aí vem o embate interno: estou sendo egoísta ou estou dando a mim mesmo o espaço para resguardar-me? Sentimo-nos numa encruzilhada de emoções. No entanto, começa a alvorecer em minha mente a reflexão de que certos processos, embora queiramos ajudar, não são nossos, são do outro. Que ainda que tenhamos o impulso de encarnar o super-herói estendendo a mão e tirando o ser em apuros da situação em questão, nem sempre isso será possível. Pois existem momentos em que precisamos encarar a nossa dor, aceitá-la, assumi-la, para passarmos por nosso processo de metamorfose. E dói. Dói muito. Mas nascer dói, assim como todo momento de reconstrução, de ruptura, de recomeço. De se olhar no espelho. De tomar coragem. De pedir perdão. De perdoar. Não existe redenção sem dor. Então, há dores que são nossas, não se pode pegar atalho, acelerar o processo, pois quanto mais tentamos, mais o retardamos. Mais o caminho se torna curvo, distante, inóspito. Demoramos a entender que muitas vezes o remédio é a dor, por mais estranho que possa ser isso. Afinal, é através dela que podemos nos superar. Evoluir. Não é gostoso, mas é necessário. Isso faz aceitar o fato de que nem sempre conseguirei ser aquela mão estendida que poderá emergir meu ser amado de suas angústias. Pois alguns processos são nossos, só nós podemos lidar com eles. Isso nos dá força para aceitar que a vida é como o mar, que oscila entre calmaria e tempestade. Mas passa. Tudo passa.

Por: Jaqueline Dergan


Créditos da imagem: Pexels

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: