Categoria Mauricio Luz

O Infinito Momento da Existência

Por: Mauricio Luz O Infinito Momento da Existência A areia molhada acaricia meus pésEnquanto o astro rei surge no horizonte.O céu se pinta de laranja e vermelho para recebê-lo.A Lua se despede, enquanto Vésper lhe sussurra segredosQue apenas os astros podem entender e compartilhar.As ondas rosnam e me provocam.Convidam-me a sentir a carícia da água […]

Ler mais

Conexão

Por: Mauricio Luz Conexão Quando, de olhos abertos,Eu não vejo o mundoAdormecido estou.E ao respirar,Não sinto o ar que me alenta.Morto insepulto estou.Caminho, e no caminhar,Não sinto a terra que sustenta meu andar.Eu estou inerte.O Sol me iluminaE não sinto o seu calor e o seu poder.Porque nas trevas da inconsciênciaEstou mergulhado.A poesia nasce no […]

Ler mais

Pausa para o Café

Por: Mauricio Luz Pausa para o Café Respiro profundamente o seu perfumeEnvolve-me em sensações que apenas vocêÉ capaz de provocar.Duas colheres, colocadas no leito de panoEscurecido pelas vezes que amou a água.A água! Ela borbulha, dengosa e lasciva,Exalando vapor e calor, no ponto ideal…Une-se a você em uma ardente comunhão.Sua fragrância se espalha no arEnquanto […]

Ler mais

Quando?

Por: Mauricio Luz Quando? Há poemas que são gritosCristalizados em verbos e advérbiosPalavras que ferem como farpasAs máscaras que uso e me usamSuave violência de versosComo a planta que rompe concretosOs gritos me lembram o que souMe dão pistas do vim aqui fazerMas… apesar de altos e vibrantesSão abafados pela surdez causadaPelas rotinas aceitas e […]

Ler mais

Motivação

Por: Mauricio Luz Motivação Sou eu quem escreve a poesia?ou é a poesia quem me escreve?O que acende meu coração, toma minhas mãosE as guiam nas trilhas de uma folha em brancoEntre as linhas retasE entrelinhas diretasDe versos desalinhados?O que me faz navegar entre certas palavrasSentindo as palavras certasPara descrever que não pode ser descrito?É […]

Ler mais

Templo

Por: Mauricio Luz Templo Suas folhas formam um tapeteNo qual meus pés caminham com reverênciaSento-me à sua sombraOlho para as flores que enfeitam sua copaUm convite, um chamamentoÀs abelhas e marimbondos que passeiam no jardim aéreoUm pássaro chega. Ele escolheu seus galhosPara abrigar o berço de um novo milagre que viráSinto seu tronco, a firmeza […]

Ler mais

Yin e Yang

Por: Mauricio Luz Yin e Yang Sombra, sombra amadaQuero ser teu amigo, tua irmandadeSomos apenas um, Sombra QueridaFazemos parte de algo único, profundoTão lindo e beloQue achei que me tornaria UnoQuebrando-me em partes!Eu sou teu, ó Sombra,Assim como tu és minha,Toma minha mão,Aceita meu abraço,Coma de minha comida!Reconheço que sem ti,A Luz se afasta mais […]

Ler mais

Rendição

Por: Mauricio Luz Rendição Ah, coração em chamas!Quem sou eu para impedir o teu fogo?Como aplacar teu ímpeto, tua fúriaDe fazer o que for precisoPara que eu me torne Eu?Ah, coração indomável…És a semente, a força imparável da vidaE eu sou a casca que teimosa e inutilmenteQuer impedi-lo de brotar, e brotandoAlcançar o lugar ao […]

Ler mais

A Gaiola

Por: Mauricio Luz A Gaiola Um raio de sol cortaA escuridão que envolve a gaiolaO pássaro sente a chegada da manhãAs grades que o tornam prisioneiroCulpado do crime da beleza de seu canto e sua plumagemSão duras lembranças da liberdade perdida nas arapucas da vidaMas eis! Espantado vislumbraEntre a fria simetria das paredes de sua […]

Ler mais

A Sede do Beduíno

Por: Mauricio Luz A Sede do Beduíno De tanto temer o AmorQue no deserto eu caminhoMeu peito está ressecadoE meu coração, mesquinho De tanto guardar o AmorQue ele se perdeuMinhas sementes não germinamMinha planta feneceu De tanto fugir do AmorQue eu me perdi de mimDas areias que andoBusco saída sem fim Oh, Amor, onde estás?Onde […]

Ler mais