Alma fatigada

Por: Tadany Cargnin dos Santos

 

Trago uma alma cansada

Tão exausta que, só de pensar, se exaure

Talvez esgotada de si mesma

Ou fatigada por sonhos não atingidos

Amores não vividos

Amanheceres não despertados

Composições não manifestadas

Fragrâncias não experimentadas

Plantações não colhidas

Taquicardias não entendidas

Beijos não saboreados

Verdades não compartilhadas

Êxitos não celebrados

E sorrisos não distribuídos

Sim, ela está cansada

Talvez queira dormir

Descansar de tudo aquilo que lhe cansou

Para desfrutar do sono eterno

Poeticamente terno

Talvez até subalterno

De um cansaço só seu

Sua falência, e também seu apogeu.

PS: Para citar este Poema:

Cargnin dos Santos, Tadany.Alma fatigada.www.tadany.com®

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: