O Atrasado de Maio

Por: Diogo Verri Garcia

briefcase-2931442 (2)

O atrasado quando chega ao evento
Passa esbaforido, quase tropeçante no próprio passo
Acredita que o quase lustro perdido passado
Serviu a todos a contento.
E se atrasou, posto que mal percebeu seu descaso.

Os que os aguardavam nem mais aquiesciam
Que a presença vindoura seria alvissareira.
E não foi: foram cinco palavras e a manhã logo finda;
Atrasou mais que o enfeitar da moça namoradeira.

E já estava gelado o café que o aguardava.
De tanto esperar, cansaram, os revoltosos, até do levante.
E agora, calmamente, feito tropa esperavam.
Impassíveis, como quem dá palavras com infante.

Mas, no giro da hora, a demora não mais se acanha,
Era um atraso que foi pressa, chegada a hora de ir.
O novo café, já quente, nem lhe viu a fumaça;
Da letargia acordou; correndo, passa.
Era muita a pressa em partir.

(Diogo Verri Garcia, Rio de Janeiro, 14/05/2019).


Créditos da imagem: pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: