Descortinando

Por: Diogo Verri Garcia

room-918994

Nada como o dom de estar certo
Mandar seguir a vida,
Aliviar o canto.
Deixar o sol bater,
Abrir a cortina.
E lá fora, em que não se olhava a vida,
há uma manhã tão bela.
Nada como o dom de estar certo.
E estar santo
No refúgio da paz que é completa.
E ao sair na varanda, entrar o vento.
E ao olhar da sacada, outrem já te acena.
Só assim, respirar o ar animador,
Sem rancor,
Para aliviar o som estranho do espanto.
Nada como o dom de estar certo,
Ter razão sobre a vida
E acordar já célere,
Sabendo que tanto há de bom lá fora.
Saber que a rotina, como toda,
Sempre passa, vai embora,
Mas há sempre algo maior que te alimenta.
E recompensa a alma,
Que sempre foi reta.
Na paz se sustenta,
Esperta e pertinente,
Caminhante ao largo da dor,
Mas, hora ou outra, é valente.
Ser normal o pesar de um andor,
Que só cabe aos que de verdade sentem.
E há amor de si, e só, que sobrará para tantos.
Por se andar por caminhos certos.

(Diogo Verri Garcia, Rio, 28/04/2020)


Créditos da imagem: pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: