Por: Mauricio Luz

flower-5492990

Eis que rompendo o concreto
De uma cinza e arrasadora calçada carioca
Uma pequena e frágil flor
Joga gotas de cores
No descolorido mar do cotidiano
É como a poesia que em mim mesmo nasce
Quebrando as cascas da rotina e do desalento
Lembrando ao poeta concretado
Que embaixo do cimento das tarefas sem fim
Há vida
Há perfume
Há vida


Créditos da imagem: pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: