Decúbito, 2 de 2

Por: Diogo Verri Garcia

(DECÚBITO, 2 de 2)

A paz, que uma vez se ausentou,
de outra forma retorna.
Em saber que a mão do destino
Raramente erra a porta.
Demonstrou tudo
O que havia entre o nada e o engano.
Clareou a fundo
O que não estava em planos.
Deixou a vida torta,
Crendo falar tão certa.
Foi por Deus,
Vê-se o acaso que traz,
Ver traçada outra meta.

Foi dado o que podia,
A luz que me vinha,
Tudo o que esperava.
Dei horas, palavras
E tanta explicação.

Houve alegria,
paz e felicidade,
Nessa passagem
em que houve verdade,
Mas virou só estação.

Ficou auxílio, em saber com certeza,
Bem como a lembrança,
Trazida por quem
que não mais vem e te beija.
A saudade perderá lembranças com o tempo,
De onde quer que esteja.

(Diogo Verri Garcia, Rio de Janeiro, 26/04/2020)


Créditos da imagem: pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: