Marias, Carolinas, Marinetes e Súvilas

Por: Juliana Latini

Marias, Carolinas, Marinetes e Súvilas

Sem querer romantizar e nem estigmatizar a favela.

Lá…morei com Marias, Carolinas, Marinetes e Súvilas.

Lá…a pobreza é um rótulo simplista para classificá-la.

Ao adentrar e vivenciar o seu cotidiano, conhecendo os nomes, as histórias e suas formas de expressão, fui construindo o sentimento de pertencimento à comunidade.

Lembro-me das alegrias, tristezas, desigualdades e diversidades. Da solidariedade e do apadrinhamento.

Lembro-me de encontros na praça, crianças correndo, barulho de chinelo e o abraço, toda vez que eu começava a subir a ladeira.

Muita garra de viver diante de limitações, privações e estigmas.

Por muito tempo, eu rejeitei o rótulo de ser favelada.

Como os preconceitos são duros de se quebrar e como é difícil removê-los por completo…

Hoje, tenho muito orgulho de ter sido acolhida nessa rede de apoio,

lugar de muitas belezas, onde as riquezas não se restringem aos bens materiais.

Juliana Lopes Latini da Silva 


Créditos da imagem: Unsplash

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: