Por: Raquel Alves Tobias

Muita gente parecida
Muito ódio de si mesmo
Que muda de endereço

É hora de parar e ouvir a respiração
Ser o próprio ar e oxigenação
Sem ruminar a comida do almoço
Soltar o nó que aperta o músculo no dorso
Varrer toda a terra caída pelo chão

Depois de um dia cheio
Olhar-se no espelho perdoando os defeitos
Orgulhar-se das curvas de ganhos por pesos
Acariciando todo o caminho de hematomas
Cobertos em lençóis de si mesmo

Raquel Alves Tobias


Créditos da imagem: Pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: