Categoria Diogo Verri Garcia

A dizer sobre o verso

Por: Diogo Verri Garcia A dizer sobre o verso, Certa vez expuseram Que melhor poeta vive da tristeza, Pois narrar em vida grandeza não marca e não graceja tanto quanto falar da saudade. Que poesia boa ou é tragédia ou é autoajuda, Que o verso a si mesmo desnuda: é escrito porque há vaidade. Expuseram […]

Ler mais

O Tempo da Incerteza Resoluta

Por: Diogo Verri Garcia O coração não tem tempo. Um tempo certo para achar seu compasso. Um momento exato pra saber se quer ter intento, ou desafinar-se, entrar em descaso. O coração quer ter um tempo. Não explicações, pois a lógica é plana e ele não a conhece. Se exato fosse, seria melhor que a […]

Ler mais

Poema à Praia

Por: Diogo Verri Garcia Nossos melhores caminhos levam à praia, Onde vige a lei de Deus, A regra do vento, o compêndio das águas, Onde não sobra espaço para problemas teus. Que ficam na praia, nada a lastimar. Ficarão por lá, sem voltar contigo. Até teus erros já gostam da praia. Lá encontraram leveza, porque […]

Ler mais

Em Garopaba

Por: Diogo Verri Garcia Em Garopaba, até dia chuvoso encanta, Observar baleias-francas no mar que tanto agrada. O pesqueiro branco, de nome rubro Agostinho, Do mar não volta sozinho, O vento forte o afaga. De montes verdes, areia escura e água clara, O mar em Garopaba compete a beleza com o sol. Por entre as […]

Ler mais

À Zero Hora

Por: Diogo Verri Garcia O tempo é estampido Quando o relógio vira, Os fogos queimam e ascendem, Um novo tempo almeja-se, Os festejos transcendem. Percebemos que doze meses atrás Um pouco de mais era almejado. Também fizemos promessas. Talvez menos ou mais festejado. Mas nada mudará; talvez tudo mudou. Certamente um reluto, e o entusiasmo […]

Ler mais

A Contenda Perfeita

Por: Diogo Verri Garcia Não se contenha em esperar que a vida Seja a ementa perfeita dos anseios teus. Leia tudo: não faça resenha corrida, Pois os votos de Deus são mais extensos que os meus. Neles haverá acalanto e resposta, Muito embora não seja clara a leitura. Neles se esperará que a vida por […]

Ler mais

Casa Velha

Por: Diogo Verri Garcia Casa Velha (prosa rimada) A casa era velha, tão velha quanto suas emoções. Pouco havia dentro, apenas retratos, panelas, lembranças, devoções. Também velha era sua moradora, que não sabia mais quando iria partir. As tarefas diárias já se tornaram batalhas vindouras, Que sempre especulava se iria realmente conseguir. Aquela senhora, de […]

Ler mais

Arboresce

Por: Diogo Verri Garcia Está chuviscando já, Uma garoazinha… O dia é vazio, cinza. Uma brisa sem vento, Em que a paz é sozinha Tem dias que a vida pesa E de apesar em apesar, Nota que damos razão em pensar assim dela. Tem dias que a vida reza Para deixarmos de pesar – ávidos […]

Ler mais

Crônica – o que eu sei sobre o samba.

Por: Diogo Verri Garcia No último domingo, 02 de dezembro, comemorou-se o dia nacional do samba. Hoje, dia 05, o aniversário de meu pai. Alinhavando as duas datas, faço esta crônica em cumprimento à minha agenda semanal de textos, mas também em saudação ao natalício de meu genitor, neste ano, comemorado exatamente em uma quarta-feira, […]

Ler mais

Mananciais de Promessas

Por: Diogo Verri Garcia Prometo que serei mais ponderado, mais contido. Menos acelerado, terei maiores cuidados, Prometo portar-me como se fossemos tão só conhecidos Juro ser mais ausente, também complacente, a Deus temente, Mesmo que a oportunidade se apresente, abrirei mão de te ter. Contudo, não mentirei pra gente: a distancia é prudente, Para deixar […]

Ler mais