Categoria Diogo Verri Garcia

Descredenciado Poeta

Por: Diogo Verri Garcia DESCREDENCIADO POETA A poesia, quando sai do poeta, É livre, sem responsabilidade. Quem assume seu próprio risco é o leitor Que lê o que quer, adota suas próprias verdades. Descredencia cada palavra dita, Que não pertence mais a quem as fez. Os prantos podem se tornar sorrisos; Os risos, desatar de […]

Ler mais

Verso Testamental

Por: Diogo Verri Garcia A quem não quer sentir saudade, Deixo um adeus, e nada mais. Pois mal nenhum o tempo faz Se é boa a vontade que nos leva. A quem não sabe o que é tristeza, Trago o dissabor, por ameaça. Faço findo o que é eterno, Deixo perene o que passa. A […]

Ler mais

Vinte e Seis

Por: Diogo Verri Garcia. Tem vezes que o amor arrepia E depois que nos contagia, ele vai, e nos deixa saudade. Tem vezes que os olhos serenos esbugalham, Deixam de ser amenos, Tamanha a sinceridade. Tem vezes que a dúvida é maior que a tristeza, Por não entender o motivo De não haver alternativa. Tem […]

Ler mais

Grão e Migalhas

Por: Diogo Verri Garcia Nesta quarta-feira, escrevo a poesia autoral “Grão e Migalhas”, publicada no ano de 2006 na antologia “Poesias Brasileiras”, sob o nome de “Migalhas”. Espero que gostem. Rio de Janeiro, 01/08/2018 “GRÃO E MIGALHAS” Por vezes, insistem em dar migalhas, Enquanto minha mente anda morta de fome. Fome por fome, estou acostumado, […]

Ler mais

Temos um novo escritor!

Por: Diogo Verri Garcia Acabamos de receber um novo membro, que escreverá conosco às sextas-feiras. Diretamente da Feira Literária de Paraty (FLIP 2018), Álvaro Assis contatou Thiago Amério e vem fazer parte do grupo do Literarte: a arte procurando ser reposta. O escritor petropolitano, que tem por acervo poemas e crônicas, é autor, dentre outros, […]

Ler mais

Vai, Rapaz! (Poesia)

Por: Diogo Verri Garcia Caros leitores, Passo a escrever todas as quartas-feiras, impreterivelmente. Na estreia do ciclo, inicio com “Vai, Rapaz!”, poesia autoral e inédita. Espero que apreciem. Rio de Janeiro, 25/07/2018 Diogo Verri Garcia, VAI, RAPAZ! Te disseram que o tempo é morada, Caminho para todos que sofrem. Te falaram que a vontade ficou […]

Ler mais

Como seria a primeira postagem?

Por: Diogo Verri Garcia Afinal, como seria a primeira postagem de um blog voltado à literatura, às crônicas e à poesia? Com quais palavras escrever e com que argumentos sustentar? Poderia ser dito que a palavra é uma vocação inata ao homem, tanto quanto dar passos e respirar; ou que a razão não caminha de […]

Ler mais