Pontuações

Por: Diogo Verri Garcia

pencil-918449

Um ponto
parou frente ao fim da frase,
Sem base para tornar-lá um conto,
Sem instrumento para constitui-la
em algo que bastasse.
Nem crase socorria-lhe ao encontro.

Até que aos poucos, outros pontos juntaram,
vieram palavras novas,
pontuações,
que chegaram meio fora de hora,
Algo como em um grande embola,
Mas lhe quiseram acudir.

O ponto não soçobrou, houve fim ao entrave.
Enfim criou corpo bastante para dar forma a um tema.
Ganhou rima,
pronto a achegar-se.
O ponto não virou conto,
mas virou poema.

(Diogo Verri Garcia, Rio 18/06/2019, 23h13)


créditos da imagem: pixabay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: