Categoria Diogo Verri Garcia

VAI, RAPAZ! (#repost)

Por: Diogo Verri Garcia VAI, RAPAZ! (#repost) Te disseram que o tempo é morada,Caminho para todos que sofrem.Te falaram que a vontade ficou endividada.E com dúvida, se se entrega ou se corre. Veja que ela também quer os teus olhos,Mas teme do mundo a reprovação.Nota que face à tua galhardia,Ela também se arrepia, tem taquicardia, […]

Ler mais

Descredenciado Poeta (#repost)

Por: Diogo Verri Garcia Descredenciado Poeta (#repost) A poesia, quando sai do poeta,É livre, sem responsabilidade.Quem assume seu próprio risco é o leitorQue lê o que quer, adota suas próprias verdades. Descredencia cada palavra dita,Que não pertence mais a quem as fez.Os prantos podem se tornar sorrisos;Os risos, desatar de vez. As saudades, que eram […]

Ler mais

Mar em Oração (#repost)

Por: Diogo Verri Garcia MAR EM ORAÇÃO (#repost) Seja forte, como o mar é forte,Mas te amolde e te quebre como as ondas que batem.Seja leve, como o mar é leve,Com ondas breves, como as que rompem a tarde. Seja bravo e te defenda do argumento,Quanto te calarem o pranto e te pretenderem agonia.Seja estupendo, […]

Ler mais

Decúbito, 2 de 2

Por: Diogo Verri Garcia (DECÚBITO, 2 de 2) A paz, que uma vez se ausentou,de outra forma retorna.Em saber que a mão do destinoRaramente erra a porta.Demonstrou tudoO que havia entre o nada e o engano.Clareou a fundoO que não estava em planos.Deixou a vida torta,Crendo falar tão certa.Foi por Deus,Vê-se o acaso que traz,Ver […]

Ler mais

O Abrilhantado Sol

Por: Diogo Verri Garcia O Abrilhantado Sol Caminha o sol, Que aos poucos vai. Anda, anda, Na elegante calma De alguém que bem se preze. Inaugura a intocada friagem De uma manhã tão leve. Descobre a névoa, Que enrosca o mundo feito lençol, Pois que vai subindo aos poucos, esquentando, abrilhantando, o sol. Toca no […]

Ler mais

Verso Construtor

Por: Diogo Verri Garcia Verso Construtor A vida de quem ponderou a mais, Transforma qualquer candura e paz em questionamento. Deixa, passada, tanta questão imperar, que sem permitir explicar, Transfaz ternura em alento. Não notou o quão gigante O bem maior que ela, a vida, te quis, Pois quedou-se matriz da desconfiança que se tornou […]

Ler mais

Palavras Caminhantes

Por: Diogo Verri Garcia Palavras Caminhantes Há palavras que por mim não passam, Tanto que ficam retidas, feito um congestionamento. Tentam, mas param; busco percebê-las, mas não aderem. Funcionam feito vento na roupa, ao que se sente, mas não tocam a pele. A ponto de quererem saber, para tanto querê-las, meu argumento. Mas não preciso, […]

Ler mais

Vinte e Cinco

Por: Diogo Verri Garcia Vinte e Cinco O que há em beijos Que começam e te deixam? E ameaçam, com boca próxima, Não sente culpa; transparecem o desleixo De um nada mais… E veem sussurros Que terminam dando nós nos teus ouvidos, Que transforma o precavido, A aventurar-se nesse abraço, A deleitar-se, Sentir amor, viver […]

Ler mais

O que é oração?

Por: Diogo Verri Garcia O que é oração? O que é oração? Se não Uma outra forma de se fazer olhar? Quem alega ter fé, mas faz ao rancor a moção, Não tem vocação de se querer perdoar. É uma verdade que, de tão antiga, persiste E não importa quem é devoto, feliz ou triste; […]

Ler mais

Manual do Amor de Sempre

Por: Diogo Verri Garcia Manual do Amor de Sempre Ao pretenderes tratar Ou falar a quem se gosta, Não queiras mais se atormentar, Compreender, tergiversar. Para a sorte do teu bem, entenda: Não responder já é resposta. Quem quer encontrar, dá sempre um jeito, Não há razões, palavras, preceitos, um nada que justifique o sumir. […]

Ler mais