No tédio da realidade

 

Por: Tadany Cargnin dos Santos

 

No tédio da realidade

Encontro razões para a rebeldia

Dos pecaminosos pulpitos da mediocridade

Consegui desde há muito minha divina alforria

Das garras agourentas da licenciosa sociedade

Desvencilhei-me com encantadora alegria

Na tristeza peçonhenta da crueldade

Descubro avalanches de rancorosa covardia

Nos lentos e tediosos instantes da normalidade

Acho que a vida inexiste, humana desvalia

Nestes gloriosos segundos de inspiradora espontaneidade

Em palavras me desnudo, escravo eterno da poesia.

 

PS: Para citar este Poema:

Cargnin dos Santos, Tadany.No tédio da realidade.www.tadany.org®

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: