Suspiros existenciais

Por: Tadany Cargnin dos Santos

O silêncio que não quer falar

O sexo sem amor dos casados

Desencontros de encontros inesperados

Vida e suas ânsias, humano discordar

Bares que bebem nossas amarguras

Pornografias midiáticas de nossas ilusões

Trabalhos que nublam nossas visões

Suspiros existenciais, entardeceres de almas puras

Jardins sem rosas, recheados de espinhos

Olhares lúgubres, casais solteiros

Borboletas sem asas, voar derradeiro

Corpos num mesmo teto, agrupadamente sozinhos

Rodovias sem destinos, trevos de agonias

Corações despedaçados, anemia amorosa

Venenos em palavras, poesia indecorosa

Realidade ao inverso, desumana utopia.

PS: Para citar este Poema:

Cargnin dos Santos, Tadany.Suspiros existenciais.www.tadany.org®

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: