Este Quadro

Por: Tadany Cargnin dos Santos

Neste quadro, que não me enquadro

Me encarcero, me desespero, me desterro

Tão bonita moldura, me tortura, que loucura

Suas cores, meus temores, minhas dores

 

Pendurado numa parede hostil e deserta, quanta sede

Suas pinturas enganosas, tenebrosas, desgostosas

Suas imagens petulantes, desconcertantes, escalofriantes

Quem me impôs este quadro, maltratado, desgraçado?

 

No entanto, ele parece caber em mim, docemente

Mas eu não caibo nele, me sinto doente

Como quebrar esta moldura que me aprisiona,

Para abrir esta consciência, ampla como uma sanfona?

 

Ainda não tenho respostas, mas as dúvidas estão expostas

E o medo da dor da mudança, já partiu, doce pujança

Então, entre lágrimas e sorrisos, meu mundo reviso

Pois agora estou consciente, de que neste quadro, não mais me enquadro.

 

Como citar este poema:

Cargnin dos Santos, Tadany. Este Quadro. www.tadany.org®

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: