Categoria Alvaro Assis

Caneta de Carga Acabada

Por Alvaro Assis Querida Caneta de Carga Acabada, Nós que estivemos juntos por tantos e tantos poemas… Lembro-me até de quando você se esquivou de escrever: obnubilado Você tinha mesmo razão Meter obnubilado neste coisa, não tem propósito algum Sei que muitas e muitas vezes o frio secou sua tinta E em vez de se […]

Ler mais

Por: Alvaro Assis Chove uma chuva clara Uma chuva de olhos abertos E molha meu corpo, que se abre Pra deixá-la ensopar minh’alma Chove pela têmpora o temporal O tempo fatiado em gotas, com calma Faz corredeiras pela coluna vertebral Chove, não uma chuva impaciente Não uma que pareça com a gente Pois sabe lavar-se […]

Ler mais

Por: Álvaro Assis Não falta nada No som da cachoeira Na sombra que a árvore faz sobre o formigueiro A trilha vai sempre dar onde se deve chegar Assim como o passarinho sabe o tempo de cantar e o de voar O rio que vai virar oceano vai perdendo o medo contra as pedras E […]

Ler mais

Mineral

Por: Alvaro Assis É mineral a tarde onde o cachorro late sua melancolia cinza Tem chumbo, molibdênio e aço essa tarde vestida de tempestade O homem que vive dentro dessa tarde não o homem da palavra: homem) Mas o da palavra: cinza, da palavra: chumbo, também é mineral O mastro da bandeira, que ainda é […]

Ler mais