Categoria Bianca Latini

Duna: construção do tempo

Por: Bianca Latini Duna: construção do tempo Agradeço por mais um ano que se foiE deixou registrado suas marcas em mimNão hei de classificar se foi bom ou ruimApenas foiSimples assim!Pinceladas do tempo, aprendizagens, desafios, alegrias, ensinamentosConstatações, amadurecimentos, bobagens que voaram com o ventoInúmeras ondas do mar que foram e vieramTrouxeram até a areia a […]

Ler mais

Carta- Reflexões de um ano que dá aceno em despedida e passa o bastão da esperança ao outro que quer dar partida

Por: Bianca Latini Carta- Reflexões de um ano que dá aceno em despedida e passo o bastão da esperança para outro que quer dar partida Está terminando 2020.. Este ano teve confinamentoE máscara no rosto virou obrigatórioOs olhos ganharam destaqueEstar dentro e não fora tornou-se a bola da vezAssim, também, fez-se imperioso, lidar, ininterruptamente, com […]

Ler mais

Desnaturalização: a infância sem ar

Por: Bianca Latini Desnaturalização: a infância sem ar Nesse mundo verticalizadoEspaços sintéticos, sintetizadosCrianças espremidas, encaixotadasCriatividades esmagadasNa frente das telas são hipnotizadasPela tecnologia, absortas, vampirizadasO medo imperaA preocupação é gigantescaEis o pavor do foraÉ preciso estar dentro!SeguroCerceadoGradeadoM-i-n-i-m-i-z-a-d-oA natureza é uma beleza à parte, longínquaAlgo que se vê apenas pela fresta da janelaDos altos prédios monitoradosRezo, ao […]

Ler mais

Os melhores “piores”

Por: Bianca Latini Os melhores “piores” Eu agradeço por tudo que entra e sai do meu caminhoAgradeço pelo que permaneceAgradeço pelo que se esvai e pelo que não pereceAgradeço o coxo, o riso, o são, o adoecido, agradeço ao que ” deu errado” e ao que se sustenta sadioAgradeço a farpa no dedo, o cisco […]

Ler mais

Desafio

Por: Bianca Latini Desafio O que você quer me dizerCom sua aparência de dificuldade?O que há por trás da cortinado que eu penso ser azar, infortúnio, injustiça, maldade?Qual é o seu convite para mim, neste instante?Que óculos devo vestir para, enfim, enxergar o que pretende me escancarar?Por trás da lamúria, esbravejamento, zanguices, lamentaçãoHei que descobrir […]

Ler mais

O grande mistério

Por: Bianca Latini O Grande Mistério Eu sou eterno viajantePara sempre buscadorA jornada nunca terminaA vida é um mistérioE nós somos a magiaSomos gota no oceanoFolha na FlorestaSomos a vida em festaPresençaInteirezaTransformaçãoRaiz, terra, elucidaçãoSomos água, sede, manancialSomos fogo, calor, acolhimentoSomos ar, respiração, ir e virVentania, calmariaSomos tudo e nadaEu e nenhumSomos campo, povoamento,Vácuo quântico. Créditos […]

Ler mais

Pinceladas do Tempo

Por: Bianca Latini Pinceladas do Tempo Tem tempo de pararTempo de começar a andarTempo de ser espera e enaltecer paciênciaTem tempo que é para apenas tomar ciênciaTempo de ouvir e os lábios costurarTempo que é só para brincarTempo de deixar o tempo rolarTempo de deixar a cachoeira secar e depois aproveitar a cheia, a corredeira, […]

Ler mais

Silêncio

Por: Bianca Latini Silêncio Essa mordaça da pazQue faz calar a palavra contumaz,aquela que sozinha nunca satisfaze é antecedida por julgamento, pensamento,InsensatezAquela que, nos seus atropelos,Estilhaça, destrói, corrói, divide, separa, gera hiato, abismo, penhascoO silêncio vem embalar, ninar, cantigarNo deserto da calmariaNo horizonte do preenchimentoSentimento de pertencer…ao quieto, ao nada, ao vazioSolitude, magnitude, completudeVocê e […]

Ler mais

Meditação Ativa (Experiência vivida na “Dança Intuitiva da Alma”, com teoria inspirada nos 5 Ritmos de Gabrielle Roth)

Por: Bianca Latini Meditação Ativa É tanto ar na minha bocaTanto vazio nos meus espaçosTanta emoçãoTantas perguntasA dança nos faz evaporarA liberdade nos faz pertencerA ausência de formaDo certo, do errado, do passo, do ritmo, da precisãoA vagarosidade e a rapidez que se misturamUma fenda no espaçoA infinitude e a desfragmentariedadeA loucura recobrando a sanidadeO […]

Ler mais

Impaciência

Por: Bianca Latini Impaciência Hoje queria que todas as situações chatas, inconvenientes e que me deixam impacientefossem um vidro bem fininho e espelhadopara eu quebrar com um martelo bem pesadoVê-lo estilhaçar-se e despedaçar-se em pedacinhos bem minúsculosImpossíveis de serem coladosIria pegar uma pá de lixo bem grandeCatar tudo, jogar no vaso sanitário e dar descarga!Para […]

Ler mais