A Estrela

Por: Tadany Cargnin dos Santos

 

Uma estrela caiu no chão

Ela veio de outras galáxias, abrindo novas porteiras

Veio intensa, brilhante como um lampião

E ao bater no solo, seu calor gerou uma tímida fogueira

Ao que assisti como profunda admiração

E pensei ser uma cósmica e mística brincadeira

Então, nela joguei toda minha preocupação

Tudo o que era desnecessário, todas as asneiras

Cada deslize, cada dor e cada aversão

Cada papel inútil de dentro da carteira

E o que era uma singela chama, virou um fogueirão

Porque havia acumulado, mesmo sem querer, tanta besteira

Mas que a partir de agora, não mais existirão

Pois foram todas incendiadas, restando apenas uma bela clareira

Um novo espaço para reerguer a sagrada construção

Da estrela que quer brilhar, cintilar sem fronteiras.

 

PS: Para citar este Poema:

Cargnin dos Santos, Tadany. A Estrelawww.tadany.org®

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: