Categoria Poesia

Mineral

Por: Alvaro Assis É mineral a tarde onde o cachorro late sua melancolia cinza Tem chumbo, molibdênio e aço essa tarde vestida de tempestade O homem que vive dentro dessa tarde não o homem da palavra: homem) Mas o da palavra: cinza, da palavra: chumbo, também é mineral O mastro da bandeira, que ainda é […]

Ler mais

Palavras sentidas

Se as palavras que são ditas,
cujas as formas são escritas,
São difíceis de explicar…
Imagine as que sentidas
(Não passíveis de tocar),

Ler mais

Grão e Migalhas

Por: Diogo Verri Garcia Nesta quarta-feira, escrevo a poesia autoral “Grão e Migalhas”, publicada no ano de 2006 na antologia “Poesias Brasileiras”, sob o nome de “Migalhas”. Espero que gostem. Rio de Janeiro, 01/08/2018 “GRÃO E MIGALHAS” Por vezes, insistem em dar migalhas, Enquanto minha mente anda morta de fome. Fome por fome, estou acostumado, […]

Ler mais

Temos um novo escritor!

Por: Diogo Verri Garcia Acabamos de receber um novo membro, que escreverá conosco às sextas-feiras. Diretamente da Feira Literária de Paraty (FLIP 2018), Álvaro Assis contatou Thiago Amério e vem fazer parte do grupo do Literarte: a arte procurando ser reposta. O escritor petropolitano, que tem por acervo poemas e crônicas, é autor, dentre outros, […]

Ler mais

Bob Dylan, poeta.

Por: Alexandre Costeira Frazão Conhecido pelo estilo musical único e pelas canções de protesto que embalaram os anos 1960, Bob Dylan já era uma lenda da música em 2016, quando venceu o Prêmio Nobel de Literatura. Apesar de algumas críticas à escolha da Academia Sueca, na base do erudito bobo do “rock não é literatura”, […]

Ler mais

Poema de vigília

Por: Renato T. de Miguel Ao toque do sino Vibraram tuas velas Convoco as funestas baladas Sorvi teu incenso Soprei a bruma ocre Sorri à iminente jornada Sei bem quem és tu Teus dias escuros Teu peito ligeiro a arder A ânsia de um fraco A farsa em tocaia Teu grito em silêncio, ó prazer! […]

Ler mais

Os iluministas de pau oco

Por: Thiago Amério Imprevistos acontecem Mas por que iluminados Pisam em subordinados? Será para serem exaltados? Se os humildes vencerão, Que guerra é essa onde A luta é pela opressão? Quem julga a si mesmo? Como digo que sou bom Se me recuso a perceber o espaço alheio. O outro é só meu próprio espelho? […]

Ler mais

Vai, Rapaz! (Poesia)

Por: Diogo Verri Garcia Caros leitores, Passo a escrever todas as quartas-feiras, impreterivelmente. Na estreia do ciclo, inicio com “Vai, Rapaz!”, poesia autoral e inédita. Espero que apreciem. Rio de Janeiro, 25/07/2018 Diogo Verri Garcia, VAI, RAPAZ! Te disseram que o tempo é morada, Caminho para todos que sofrem. Te falaram que a vontade ficou […]

Ler mais

Atenção!

Ps.: Conexão é do lado de fora da tela.

Ler mais

Como seria a primeira postagem?

Por: Diogo Verri Garcia Afinal, como seria a primeira postagem de um blog voltado à literatura, às crônicas e à poesia? Com quais palavras escrever e com que argumentos sustentar? Poderia ser dito que a palavra é uma vocação inata ao homem, tanto quanto dar passos e respirar; ou que a razão não caminha de […]

Ler mais